OS ESTUDOS SOBRE TRAJETÓRIA DOCENTE NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO: EXPLORAÇÕES DOS USOS DA TEORIA BOURDIESANA EM TESES DE DOUTORADO

Mónica de la Fare, Greyce Hoffman Lopes, Julia Fernandes da Costa

Resumo


Apresentamos neste artigo resultados parciais de uma pesquisa bibliográfica em andamento, que interroga os usos teórico-metodológicos do conceito de trajetória na pesquisa em Educação no Brasil a partir da análise de publicações e de teses de doutorado divulgadas em repositórios institucionais, correspondentes ao período 2010-2015. Para este artigo restringimos nosso estudo às teses de doutorado que investigam a trajetória profissional de docentes e, em particular, a aquelas que utilizam como referencial teórico a partir da perspectiva bourdiesana. A Teoria dos Campos de Pierre Bourdieu, especialmente os constructos teóricos de trajetória e campo constituem os conceitos centrais da pesquisa. A partir dessa perspectiva analisamos as diferenças entre a “ilusão biográfica” e o uso que esse autor propõe para estudar a trajetória num espaço social. Esta investigação permitiu achar sete teses de doutorado divulgadas, no período delimitado para este estudo, que analisam a trajetória profissional de docentes. Desse conjunto, quatro fazem referência ao uso da teoria bourdesiana e utilizam os conceitos de Bourdieu de maneiras distintas. Ademais, predomina o uso da abordagem qualitativa através da realização de entrevistas semiestruturadas, muitas vezes combinada com a análise de documentos. 


Palavras-chave


trajetória – pesquisa - educação.

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, Pierre. Razões Práticas. Sobre a teoria da ação. Tradução: Mariza Corrêa. Campinas, São Paulo: Papirus, 1996.

________. Razones Prácticas. Sobre la teoría de la acción. Traducción: Thomas Kauf. . 4ªed. Barcelona: Anagrama, 1997.

________. Autonálisis de un sociólogo. Traducción: Thomas Kauf. Barcelona: ed Anagrama, colección Argumentos 2004.

BOURDIEU, Pierre.; WACQUANT, L. Una invitación a la sociología reflexiva. Traducción: Ariel Dilon. Buenos Aires: Siglo XXI. 1ª ed. - Buenos Aires: Siglo XXI. Editores Argentina, 2005.

CATANI, Afrânio; CATANI, Denise; PEREIRA, Gilson. As apropriações da obra de Pierre Bourdieu no campo educacional brasileiro, através de periódicos na área. Revista Brasileira de Educação nº 17, maio/jun/jul/ago, 2001.

CHARLOT, Bernard. A pesquisa educacional entre conhecimentos, políticas e práticas: especificidades e desafios de uma área de saber. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 31, jan./abr 2006

KROEFF, Maria Bernadette. Histórias de vida: trajetórias de professoras no cenário político de Porto Alegre – perfis (auto) biográficos no mundo contemporâneo. Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2010.

LOBO, Andréa Maria Favilla. Experiência e formação: o fazer teatral nas trajetórias docentes. Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Escolar.

Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

LOURENÇO, Elaine. Professores de História em cena: trajetórias de docentes na escola pública paulista – 1970-1990. Programa de Pós-Graduação em História Social. Universidade de São Paulo, 2011.

NASCIMENTO, Cecília Vieira do. Caminhos da docência: Trajetórias de mulheres professoras em Sabará – Minas Gerais (1830-1904). Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2011.

SILVA, Fabiane Ferreira da. Mulheres na ciência: vozes, tempos, lugares e trajetórias. Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande Rio Grande: FURG, 2012.

SOARES, Wilson José. Trajetórias, formação e docência de professores de geografia em rondonópolis-mt: uma reflexão a partir de suas memórias no período de 1930 aos anos 2000. Rio Claro, SP, 2012.

TORINI, Danilo Martins. Formação e identidade profissional: a trajetória de egressos de Ciências Sociais. São Paulo, 2012.




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.