EXPERIÊNCIAS NA ESCOLA: A PARTICIPAÇÃO DE JOVENS E SUAS PROVOCAÇÕES

Leandro R. Pinheiro, Bruno H. S. de Castilhos

Resumo


Este artigo apropria resultados de incursões em diferentes espaços educativos para trazer reflexões sintonizadas com a situação política que experenciamos atualmente no país. Aludimos, assim, os tensionamentos à consolidação de nossa recente democracia e os apelos por participação política, com destaque à garantia de direitos na área de educação, mas o fazemos indo ao cotidiano da escola. Propomo-nos a discutir as práticas que conduzimos como educadores, tomando-as desde as possibilidades de participação dos educandos. Assim, narramos duas experiências como educadores-pesquisadores, uma na modalidade EJA de uma escola pública municipal e outra em uma escola estadual ocupada, ambas em Porto Alegre/RS. Nossas análises são perpassadas por considerações sobre a pertinência de uma prática pedagógica contextualizada e pela compreensão das práticas juvenis contemporâneas, em articulação à ação política dos secundaristas, visando discutir provocações possíveis ao fazer educativo e aos tempos institucionais escolares.


Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos; Juventudes; Participação

Texto completo:

PDF

Referências


CARRANO, Paulo. Educação de jovens e adultos e juventude: o desafio de compreender os sentidos da presença dos jovens na escola da “segunda chance”. Revista Reveja, 2007.

DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo. Juventude e ensino médio: quem é este aluno que chega à escola? In: . Juventude e ensino médio: sujeitos e currículo em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014, p. 101-134.

GIROUX, Henry. Alfabetização e a pedagogia do empowerment político. In: FREIRE, Paulo e MACEDO, Donaldo. Alfabetização: leitura da palavra, leitura do mundo. 5ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011, p.1-27.

MAFFESOLI, Michel. O ritmo da vida: variações sobre o imaginário pós-moderno. Rio de Janeiro: Record, 2004.

ORTELLADO, Pablo. A ocupação de escolas é o filho mais legítimo de junho de 2013 – Entrevista. IHU Online, 18/maio/2016. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/a-ocupacao-de-escolas-e-o-filho-mais-legitimo-de-junho-de-2013-entrevista-especial-com-pablo-ortellado/555196-a-ocupacao-de-escolas-e-o-filho-mais-legitimo-de-junho-de-2013-entrevista-especial-com-pablo-ortellado.

PEDROSA, Silvio. O antivírus político: as ocupações das escolas e o protagonismo das juventudes e a potência dos pobres – Entrevista. IHU Online, 30/maio/2016. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/o-antivirus-politico-as-ocupacoes-das-escolas-e-o-protagonismo-das-juventudes-e-a-potencia-dos-pobres-entrevista-especial-com-silvio-pedrosa/555625-o-antivirus-politico-as-ocupacoes-das-escolas-e-o-protagonismo-das-juventudes-e-a-potencia-dos-pobres-entrevista-especial-com-silvio-pedrosa.

PRONZATO, Carlos. Acabou a paz – Isto aqui vai virar o Chile. Documentário (1h), São Paulo, 2015. Disponível: https://www.youtube.com/watch?v=LK9Ri2prfNw

SZANIECKI, Bárbara. Autonomia política e ativismo estético: outras formas de pensar a representação política – Entrevista. IHU Online, 08/junho/2016. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/autonomia-politica-e-ativismo-estetico-outras-formas-de-pensar-a-representacao-politica-entrevista-especial-com-barbara-szaniecki/556078-autonomia-politica-e-ativismo-estetico-outras-formas-de-pensar-a-representacao-politica-entrevista-especial-com-barbara-szaniecki.

VÓVIO, Cláudia L. Desconstruindo dicotomias: a articulação de saberes na escolarização de pessoas jovens e adultas. In: EJA EM DEBATE, Florianópolis, v. 01, n. 01, nov/2012, p. 11-21.




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.