A PEDAGOGIA DA ESCUTA E O PAPEL DO ADULTO NA CONSTRUÇÃO DAS APRENDIZAGENS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Raquel Barbosa Rocha

Resumo


Nesse artigo procuramos destacar o papel do adulto numa perspectiva de valorização da compreensão da cultura da infância, ou seja, a ideia que a criança, rompe conceitos educacionais tradicionais, caminha na direção de ser considerada cidadã atuante que cria, recria, imagina, descobre e aprende com os novos desafios, possuindo uma cultura própria. O objetivo desta pesquisa foi discutir alguns processos que envolvem o papel do adulto na construção do conhecimento das crianças, ao invés do foco em processos de apropriação de uma cultura já definida, ou da aquisição de conceitos, ou a formação do pensamento, ou ainda, valores produzidos no universo cultural dos adultos. no fato de relacionar-se com a criança como observador que acompanha suas descobertas com a intencionalidade de avançar em suas aprendizagens, a partir de contextos significativos e desafiadores, utilizando como processo a estética, as múltiplas linguagens, a escuta sensível, afetuosa, solidária, a observação respeitosa da cultura da infância. Como metodologia optamos por um estudo teórico com base em revisão de literatura, caracterizada como pesquisa bibliográfica e qualitativa. Os aportes teóricos que contribuem para o aprofundamento e discussão do tema tem sua base principal em Garcia et al. (2018), Hoyuelos &Riera (2019)  e Vecchi (2017). Podemos considerar que o papel do adulto frente à criança envolve toda a complexidade contida no cotidiano escolar, uma vez que a dimensão estética, as múltiplas linguagens, as crianças, os ambientes, os materiais, seus pares e a família, formam uma rede de conexão que provocam novos desafios e novas aprendizagens. Sendo assim, a pedagogia da escuta e a escuta sensível podem favorecer a melhoria das condições de aprendizagem na educação infantil.


Palavras-chave


Pedagogia da Escuta. Escuta sensível. Papel do Adulto. Educação infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBIER, René. A pesquisa-ação. Tradução por Lucie Didio. Brasília: Plano, 2002. Série Pesquisa em Educação, v.3.

GARCIA, Joe. Convivência na Escola: Diferentes Olhares de Pesquisa. Joe Garcia (Org). e. ed. Curitiba: Editora UTP, 2016.

GARCIA, Joe & Outros. A Reinvenção da Educação Infantil: uma experiência de Reggio Emilia. Curitiba: Editora UTP, Coopselios, 2018.

HOYUELOS, Alfredo & RIERA, María Antonia. Complexidade e relações na educação infantil. Tradução Bruna Heringer de Souza Villar – 1 ed. – São Paulo: Phorte, 2019.

LIBERALLI, Fernada Coelho. Formação Crítica de educadores: Questões fundamentais. Coleção: Novas Perspectivas em linguística aplicada. Vol. 8, Campinas, SP: Pontes Editores, 2016.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya; revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho – 3. ed. – São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2001.

VECCHI, Vea. Arte e criatividade em Reggio Emilia: explorando o papel e a potencialidade do ateliê na educação da primeira infância. Tradução Thais Helena Bonini 1 ed São Paulo: Phorte, 2017.

ZERO, Project. Tornando visível a aprendizagem: crianças que aprendem individualmente e em grupo / Reggio Children. Tradução Thaís Helena Bonini – 1. ed. – São Paulo: Phorte, 2014




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.