A MEMÓRIA NO NOVO JORNALISMO NA OBRA A SANGUE FRIO, DE TRUMAN CAPOTE

Clarissa Patrício Carvalho

Resumo


O jornalismo requer rigor na apuração, ética e honestidade na reconstituição de fatos. Mas, no Novo Jornalismo, essas exigências se fazem ainda mais importantes. O objetivo desse artigo é entender por que a obra A Sangue Frio, de Truman Capote, se tornou um verdadeiro marco do gênero, ainda que os métodos de apuração do autor sejam questionáveis, bem como sua concepção como registro de memória. Por fim, em tempos atuais, onde qualquer informação é rapidamente delegada ao esquecimento, é importante que o jornalista literário atue como restaurador e conservador da memória. Se dedicar a recuperar essas lembranças pode ser uma interferência significativa na realidade.

Palavras-chave


Novo Jornalismo; Memória; Truman Capote.

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. “O narrador”. In: Walter Benjamin – Obras escolhidas, vol. 1: Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta deMoraes (org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1998.

CAPOTE, Truman. A Sangue Frio: a História dos Quatro Membros da Família Clutter, Brutalmente Assassinados, e dos Dois Criminosos, Executados Cinco Anos Depois. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor?. In: MOTTA, Manoel Barros (org). Michel Foucault - Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. Rio de Janeiro: Editora Forense, 2010.

LIMA, Alceu Amoroso. O Jornalismo como gênero literário. Rio: Agir, 1960.

WOLFE, Tom. Radical Chique e o Novo Jornalismo: o espírito de uma época em que tudo se transformou radicalmente, inclusive o jeito de fazer reportagem. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.