UMA ABORDAGEM SOBRE A INCLUSÃO DO AUTISTA NO ENSINO SUPERIOR

Adriana Prado Santana Santos

Resumo


Esse artigo tem o objetivo de pensar no atual contexto educacional brasileiro, tendo a Instituição do Ensino Superior - IES como campo investigativo, pois tem sido crescente o número de alunos com Necessidades Educacionais Especiais – NNE que entram pela porta da frente (via vestibular ou outros processos seletivos). Dessa forma podemos refletir sobre algumas questões: As nossas universidades estão preparadas para receber esse público? E os professores universitários saberão transmitir o conhecimento de forma que os mesmos tenham autonomia para fazer as atividades? Esperamos que, ao final deste artigo, você aprimore sua compreensão sobre esse quadro, enriquecendo seu conhecimento acerca das especificidades desses indivíduos no ensino superior que desafiam a prática profissional do professor universitário. A pesquisa é de cunho qualitativo reuniu informações coletadas por meio de pesquisas bibliográficas de estudiosos sobre o tema proposto. Para tanto, foram utilizados livros, dissertações, teses, TCC e artigos. Segundo Vergara (2000), a pesquisa bibliográfica é desenvolvida a partir de material já elaborado, constituído, principalmente, de livros e artigos científicos e é importante para o levantamento de informações básicas sobre os aspectos direta e indiretamente ligado à nossa temática. A partir da pesquisa dirigida evidenciou-se que esses alunos possuem potencial para chegar ao ensino superior. A educação presencial ou a distância para alunos com transtorno do espectro autista é desafiadora, mas trará uma expansão de conhecimento e melhoria de vida desse sujeito.

Palavras-chave


Inclusão. Transtorno do Espectro Autista. Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


APA - AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. DSM-5 – Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BAKHTIN, M. M. Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico da linguagem. 13. Ed. São Paulo: Hucitec, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Secretaria de Educação Especial. Parâmetros curriculares nacionais: Adaptações Curriculares. Brasília: MEC/SEF/SEESP, 1998.

BRASIL. Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtornos do Espectro Autista. Presidência da República, Casa Civil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12764.htm. Acesso em: 25 Julho de 2019.

CUNHA, Eugênio. Autismo e inclusão: Psicologia e práticas educativas na escola e na família. Rio de Janeiro: WAK, 2011.

CHAUI, Marilena. Iniciação à filosofia. São Paulo: Ática, 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA.- INEP Censo da Educação Básica: Sinopse estatística da educação básica – 2007. Disponível em:< http://www.inep.gov.br/superior/censosuperior /sinopse/default.asp>. Acesso em Acesso em: 25 Julho de 2019.

KANNER, L. Affetive disturbances of affective contact. Nervous Child, 2, p. 217-250, 1943.

MELLO, Ana Maria S. Autismo: guia prático. 5º ed. São Paulo: AMA. Brasília: Corde, 2007.

NUNES, D. R.; AZEVEDO, M. Q. O.; SCHIMIDT, C. Inclusão educacional de pessoas com Autismo no Brasil: uma revisão da literatura. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 26, n. 47, p. 557-572, 2013.

SILVA, A. B. B.; GAIATO, M. B.; REVELES, L. T. Mundo singular: entenda o autismo. Rio de Janeiro: Fontanar Editora, 2012.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores . In: COLE, M; STEINER,V.J; SCRIBNER,S; SOUBERMAN, E. (orgs). São Paulo: Martins Fontes, 6 ed, 2003, p.191.




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.