ARTICULANDO ARTE E MÚSICA: PLANTAR E TOCAR APRENDENDO MÚSICA COM A CONSTRUÇÃO DE SEU PRÓPRIO INSTRUMENTO MUSICAL

Vando Roberto de Oliveira, Lurdes Caron, Andrey Garcia Batista

Resumo


O Projeto de Pesquisa/Extensão intitulado: “Articulando Arte e música: Plantar e Tocar: Aprendendo música com a construção de seu próprio instrumento musical”, desenvolvido no município de São Joaquim em 2014-2015. Este projeto foi realizado em articulação com três escolas estaduais de educação básica: São José, Manuel Cruz e Martinho De Haro de São Joaquim – SC. Em média foram 40 alunos por escola. Um total de 120 alunos. Com o ensino da música as crianças da comunidade Joaquinense, desenvolvem suas potencialidades artísticas. A pesquisa partiu da problemática: Como ajudar os alunos da educação básica a cultivar árvores nativas do Planalto Serrano e construir o seu próprio instrumento musical, colaborando para que o mesmo aprenda música, participe de uma orquestra cultivando e valorizando a arte musical e as tradições do município? Teve como objetivo geral: oferecer subsídios para que a evasão escolar seja reduzida por meio da participação dos alunos nas aulas de música e na produção do próprio instrumento musical para o seu uso e atuação na orquestra da escola e por extensão, na comunidade joaquinense. Objetivos específicos: realizar palestras e oficinas orientando os alunos para aquisição do conhecimento no cultivo de plantas nativas do Planalto Serrano para a produção do instrumento musical e a aprendizagem da música; produzir o instrumento musical para o ensino da música, despertando o resgate e cultivo das tradições ambientais, culturais e musicais do município de São Joaquim; organizar uma orquestra de cordas com alunos de escolas de São Joaquim. A pesquisa é de abordagem qualitativa a partir da visão de Chizzotti (2005), Barros (2003) e outros. Contou com pesquisa bibliográfica e da prática comprobatória. A fundamentação teórica referente à música embasou-se em vários autores, dentre eles, destacam-se: Amaral (1991), Araújo (2008), Freire (2007), Batista (2009). A fabricação dos instrumentos musicais por meio da arte da lutheria se faz usando as técnicas herdadas dos grandes construtores do século XVII e XVIII, (1650-1750), transferindo ao aluno o conhecimento das peças do instrumento musical para que haja maior interação com o mesmo na sua execução e na preservação do meio ambiente. Com a arte da lutheria trabalhamos educação ambiental e como resultado, educandos obtiveram conhecimentos necessários sobre lutheria para produzir seu próprio instrumento musical e participarem de uma orquestra de cordas contribuindo para o resgate e o cultivo das tradições culturais do município, proporcionando aos educandos um espaço de desenvolvimento de suas potencialidades artísticas e colaborando para o resgate da cidadania. O conhecimento também foi produzido a partir das experiências e do desenvolvimento de uma conscientização pela preservação do ambiente.

Palavras-chave


Ensino da música. Educação Básica. Cidadania. Lutheria. Educação Ambiental

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Kleide Ferreira do. Pesquisa em música e Educação. Loyola: São Paulo, 1991.

ARAÚJO, Samuel; CAMBRIA, Vincenzo; PAZ, Gaspar Leal. Música em debate: perspectivas interdisciplinares. Rio de Janeiro: Mauad, 2008.

BARROS, Aidil de Jesus Paes de. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. 13 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

BATISTA, Andrey Garcia. Frei Bernardino Bortolotti (1896-1966) e a cena musical em Lages: Uma contribuição para a historiografia da música na Serra Catarinense. Dissertação de Mestrado em 2009 na UDESC/CEART/PPGMUS. Florianópolis, 2009.

CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2.ed. São Paulo:Cortez, 2006.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUEDES, José Carlos de Souza. Educação ambiental nas escolas de ensino fundamental: estudo de caso. Garanhuns: Ed. do autor, 2006.

FERREIRA, Martins. Como usar a música na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2012, 8α ed.

FREIRE, Vanda Lima Bellard, CAVAZOTTI, André. Música e Pesquisa: novas abordagens. Belo Horizonte: Escola e Música da UFMC, 2007.

FREIRE, Vanda L. B. Música e Sociedade: uma perspectiva histórica e uma reflexão aplicada ao ensino superior de música. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1992. (Tese de Doutorado). (Exceto o Capítulo II.).

GRIFFITHS, Paul. A música moderna: uma história concisa de Debussy a Boulez. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

ILARI, Beatriz, BROOCK, Angelina (orgs.) Música e educação infantil. Campinas, SP: Papirus, 2013.

HARNONCOURT, Nikolaus. O discurso dos sons. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1988.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E.D.A. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

KERMAN, Joseph. Análise, teoria e música nova (Capítulo 3). In: Musicologia. Martins Fontes, São Paulo, 1987.

PAZ, Ermelinda. Pedagogia musical brasileira no século XX. Brasília: Musimed, 2000.

PIANA, Giovanni. Tempo. In: A filosofia da música. Bauru, SP: EDUSC, 2001.

SWANWICK, Keith. Ensinando música musicalmente. São Paulo: Editora Moderna, 2003. (Capítulos 1 e 3).

Sites

http://www.dicionarioinformal.com.br/luthieria/ acesso em 10/12/2014

https://br.toluna.com/opinions/1311913/Voc%C3%AA-sabe-o-que-%C3%A9-um-Luthier,-o-que-ele-faz-e-qual-a-origem-da-palavra. Acesso em 08/04/2014.

http://zh.clicrbs.com.br/rs/obituario/eugenio-coletti-23983.html Acesso em 10/12/2014.




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.