A REFLEXIVIDADE NA PRÁTICA DOCENTE: PROFESSORES CONSTRUTORES DE SABERES

Cristian Roberto Antunes de Oliveira, Evelyn Diconcili Caetano, Lucia Ceccato de Lima

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apresentar os resultados de um estudo de caso desenvolvido na disciplina de Conhecimentos e Saberes, disciplina essa que faz parte do Programa de Pós Graduação “Strito-Sensu” Mestrado em Educação da Universidade do Planalto Catarinense, tendo como tema: A Reflexividade na Prática Docente: Professores Construtores de Saberes. Este estudo tem como proposta discutir a respeito dos Saberes necessários para prática docente, a partir de uma análise da reflexividade dos sujeitos pesquisados no que concerne a sua ação docente. A pesquisa foi realizada em uma escola da Rede Municipal de Ensino de Lages- SC. Quanto à metodologia tratou-se de um estudo de caso com observação direta. Pesquisa de abordagem qualitativa, revisão bibliográfica e posterior coleta de dados. Fizeram parte do estudo cinco professores, sendo que duas entrevistas semiestruturadas foram escolhidas para a discussão dos dados tendo em vista a pertinência da mesma. Os professores escolhidos eram do ensino fundamental, porém um (a) de anos iniciais (1º ao 5º) e outro (a) dos anos finais da referida escola. A seleção desses dois entrevistados, de etapas distintas do ensino fundamental, foi fundamental para o desenvolvimento desse estudo, uma vez que permitiu-nos realizar comparativos entre as percepções, o que vem ao encontro do objetivo proposto.  O referente estudo nos possibilitou perceber que o professor é considerado sujeito de sua prática docente, pois suas vivências estão enraizadas na construção de seu conhecimento, sendo assim possui características que fomentam para articular sua prática por meio da dialógica e da construção de seus saberes.


Palavras-chave


Reflexividade; Saberes Docentes; Prática Docente.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA et al., Educação para inteireza: um caminho para a reforma da educação e do pensamento. Revistas-Unimep, v.32 n.4. p.7 –; 2008. Acesso em: 05 jun. 2017.

BAGNO, Marcos. A pesquisa na Escola, o que é e como se faz. Edições Loyola, 2000.

DEMO, Pedro. ABC Iniciação à competência reconstrutiva do professor básico São Paulo: Papirus,1995.

DEMO, Pedro. ABC Iniciação à competência reconstrutiva do professor básico São Paulo: Papirus, 2005.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 19 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 3ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1994.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido, 17 ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GOHN, M. G. Movimentos sociais na contemporaneidade. In: Revista Brasileira de Educação. V.1 n.47 maio – ago. 2011. ANPED – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação. (p.333-361).

Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. 3a edição revisada e atualizada. Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Laboratório de Ensino a Distância. 2001. 121 páginas.

MORIN, disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/EdgarMorin.pdf - acesso: 07/05/17.

MORIN, Edgar. Os sete saberes à educação do futuro. SP: Cortez, 1999.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya; revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho. São Paulo: Cortez, 2000.

NÓVOA, Antônio. O professor pesquisador e reflexivo. www.tvebrasil.com/br/salto/entrevi, 09/10/2009. Entrevista concedida em 13 de setembro de 2001.

_____.Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.

ed.São Paulo: Paz e Terra, 2000.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 5ª Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude; LAHAYE, Louise. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saberes. Ano

VYGOTSKY, L. S.Pensamiento y lenguaje. La Habana: Edición Revolucionaria, 1968.




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.