PERCEPÇÃO DE CIRURGIÕES DENTISTAS INSERIDOS NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOBRE O TRABALHO MULTIPROFISSIONAL

Eduarda Gaspar Sabatini Fernandes, Anelise Viapiana Masiero, Mirian Kuhnen

Resumo


Este estudo teve o propósito de conhecer a percepção de cirurgiões-dentistas atuantes na Estratégia de Saúde da Família (ESF) em relação ao trabalho multiprofissional. O estudo caracteriza-se como exploratório e descritivo com abordagem qualitativa dos dados. A pesquisa, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob protocolo nº 039/13, foi realizada em um município de médio porte da Serra Catarinense nos meses de outubro e novembro de 2013.   O público alvo foram profissionais graduados em Odontologia, inseridos na rede pública (ESF), com pós-graduação em Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade ou outras áreas. Destes, sete (7) possuem ou estão concluindo a pós-graduação em RMSFC e quatro (4) possuem especialização em outras áreas, totalizando onze (11) entrevistas. O trabalho em equipe exige uma construção coletiva das ações em saúde, em que as dificuldades estão sempre presentes e precisam ser refletidas e superadas. Considerando os resultados alcançados, é notória a necessidade de uma mudança no paradigma de formação dos futuros cirurgiões dentistas, através da reformulação de grades curriculares, onde o acadêmico saia preparado para se inserir em uma equipe e trabalhar com um olhar multiprofissional. É interessante também ressaltar a necessidade de educação permanente em serviço para os profissionais já inseridos na ESF, tendo em vista a formação particularista que os cursos de Odontologia oferecem hoje. A RMSFC configura-se como um convite, um chamado para reconstruir essa formação enquanto profissionais de saúde do SUS.


Palavras-chave


Multiprofisional. Dentista. Estratégia de Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


BALDANI, M. H. et al. A inclusão da Odontologia no Programa Saúde da Família no Estado do Paraná, Brasil. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, p. 1026-1035, 2005.

BRASIL. Lei n.º 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 set. 1990. p. 018055.

CARVALHO, A. B. de; NEPOMUCENO, L. B. A Residência Multiprofissional em Saúde da Família potencializando a transformação aravés da formação: uma utopia necessária. Sanare, Sobral, v.7, n.2, p.31-37, jul./dez. 2008.

CECCIM, R. B.; FEUERWERKER, L. C. M. Mudança na graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 5, Out. 2004. Disponível em: . acessado em 06 Dec. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000500036.

COELHO, M. Q.; COSTA, S. M.; MARTELLI, D. R. B.; MARTELLI J. H.; BONAN, P. R. F.; FRANCY, S. A Odontologia no contexto do sistema único de saúde de Montes Claros, Minas Gerais Arq Cent Estud Curso Odontol Univ Fed Minas Gerais; p. 65-72, 2011. Disponível em http://pesquisa.bvsalud.org/regional/resources/lil-620875 Acesso: 03 Dez. 2012

DALLEGRAVE, D.; KRUSE, M. H. L. No olho do furacão, na ilha da fantasia: a invenção da residência multiprofissional em saúde. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 13, n. 28, Mar. p. 213-226 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141432832009000100018〈=pt&tlng= Acesso: 27 Out. 2012.

FERREIRA, Ricardo Corrêa; VARGA, Cássia Regina Rodrigues; SILVA, Roseli Ferreira da. Trabalho em equipe multiprofissional: a perspectiva dos residentes médicos em saúde da família. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 14, supl. 1, Out. 2009 . Disponível em: . Acessado em 06 Dez. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000800015.

GOMES, R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: MINAYO, M. C. de S. et al. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: 23ª ed. Editora Vozes, p. 67-80, 2004.

GONZALEZ, A. D.; ALMEIDA, M. J. de. Integralidade da saúde: norteando mudanças na graduação dos novos profissionais. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.15, n.3, 2010.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Acesso e Utilização dos Serviços de Saúde: PNAD 1998. Rio de Janeiro; 2000.

LINARD, A. G.; CASTRO, M. M.; CRUZ, A. K. L. Integralidade da assistência na compreensão dos profissionais da estratégia saúde da família. Rev. Gaúcha Enferm. (Online), Porto Alegre, v. 32, n. 3, Set. p. 546-553 2011. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2012.

MACHADO, M. F. A. S. et al. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS: uma revisão conceitual. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, Abr. p. 335-342 2007. Disponível em . Acesso: 05 Dez. 2012.

MARQUES, J. B.; APRÍGIO, D. P.; MELLO, H. L. S.; SILVA, J. D.; PINTO, L. N.; MACHADO, D. C. D.; BASTOS, V. H. V. Contribuições da equipe multiprofissional de saúde no Programa Saúde da Família (PSF): uma atualização da literatura Rev. Baiana Saúde Pública; p. 246-255, jul.-dez. 2007. Disponível em http://files.bvs.br/upload/S/0100-0233/2007/v31n2/a248-257.pdf Acesso: 03 Dez. 2012

MATTIONI, F. C.; BUDO, M. L. D.; SCHIMITH, M. D. O exercício da integralidade em uma equipe da estratégia saúde da família: saberes e práticas. Texto Contexto - Enferm., Florianópolis, v. 20, n. 2, Jun p. 263-271 2011. Disponível em . Acesso: 05 Dez. 2012.

MEDEIROS, C. da S. et a. O Processo de (Des)Construção da Multiprofissionalidade na Atenção Básica: Limites e Desafios a Efetivação do

Trabalho em Equipe na Estratégia Saúde da Família Em João Pessoa-PBl. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. V. 15 Nº 3 p. 319-328 2011.

MINAYO, M. C. de S. Fase de Análise do Material Qualitativo. In: MINAYO, M. C. de S. O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2010. p. 299-384.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria n. 1.444 de 28 de dezembro de 2.000. Estabelece incentivo financeiro para a reorganização da atenção à saúde bucal prestada nos municípios por meio do Programa de Saúde da Família. Diário Oficial da União 2000; 29 dez. Seção 1, p. 85.

MORETTI-PIRES, R. O. Complexidade em Saúde da Família e formação do futuro profissional de saúde. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 13, n. 30, Set. p. 153-166, 2009. Disponível em . Acesso: 03 Dez. 2012.

MOYSÉS S. J. et al. A equipe multiprofissional de saúde nos Programas de Saúde da Família. Revista Médica do Paraná, v. 57, n° 1-2, p. 1-7, 1999.

NORONHA, M. G. R. da C. e S.; LIMA FILHO, D. L. O agir em Saúde da Família: as condições existentes e necessárias para a interação e a troca de conhecimentos na prática profissional. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 16, n. 3, Mar. 2011 . Disponível em: . Acessado em: 06 Dec. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000300011.

SALVADOR, A. S.; MEDEIROS, C. S.; CAVALCANTI, P. B.; CARVALHO, R. N. Construindo a Multiprofissionalidade: um Olhar sobre a Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 15, n. 3, p. 329-338, 2011. Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rbcs/article/viewFile/10834/6820 Acesso: 27 Out. 2012

SOUZA, D. S. Visão político-programática da participação da Saúde bucal na ESF: uma visão no âmbito estadual. In: MOYSÉS, S. T. Saúde bucal das famílias: trabalhando com evidências. Artes Médicas, São Paulo; p. 21-46, 2008.

WANDERLEY, L. C. S. O processo de formação dos cirurgiões-dentistas da residência multiprofissional em saúde da família da Casa de Saúde Santa Marcelina: percepção do egresso. Dissertação (Mestrado em Odontologia Social) - Faculdade de Odontologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 124p., 2010. Disponível em: . Acesso em: 03 Fev. 2013




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.