ARTICULAÇÕES DE EDUCAÇÃO PERMANTENTE E HUMANIZAÇÃO EM SAÚDE DURANTE A PANDEMIA COVID 19: RELATO DE VIVÊNCIA.

Andréia Valéria de Souza Miranda, Franciele Spolti Lorenzetti Miguel, Helena Cristina da Silva, Margarete Veronica Jesse dos Santos

Resumo


Trata-se de um relato de vivência das ações de educação permanente e humanização em saúde, realizadas durante a pandemia do COVID - 19, pelo Núcleo de Educação Permanente e Humanização em Saúde (NEPHS) da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) do município de Lages, na Serra Catarinense. As ações foram planejadas e desenvolvidas pelos integrantes do NEPHS para os trabalhadores da SMS de Lages. Utilizou-se de ferramentas virtuais de forma remota, por meio da elaboração e envio de vídeos, mensagens, fotografias e a realização de rodas de conversa virtual. Os resultados apontaram que a educação permanente pode ser uma potente ferramenta no Sistema Único de Saúde (SUS) para a reconstrução das práticas em saúde, reflexão sobre o processo de trabalho, bem como, possibilitar momentos de descontração, humanização, escuta e vínculo, de modo participativo, integrativo e revitalizador.


Palavras-chave


Educação Permanente; Humanização; Pandemia. Profissionais da Saúde. Sistema único de Saúde (SUS).

Texto completo:

PDF

Referências


AMESTOY, S.C. et al. Processo de Formação de enfermeiros líderes. Revista Brasileira de Enfermagem [online], Brasília, v.63, n.6, p.940-5, nov-dez, 2010. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n6 /11.pdf. Acesso em: 01 set. 2015.

BRASIL. Coronavírus: o que você precisa saber e como prevenir o contágio. 2020. Disponível em: https://coronavirus.saude.gov.br/. Acesso em: 04 dez. 2020.

BRASIL.Sobre a doença. Disponível em: https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#o-que-e-covid. Acesso em: 25 nov. 2020.

CECCIM, R. B. Educação permanente em saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface: comunicação, saúde, educação, 9(16): 161-178, set. 2004-fev 2005.

CECCIM, R. B. FEUERWERKER, L. C. M. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis– Revista de Saúde Coletiva, 14(1): 41-66, 2004.

CECCIM, R. B. Educação permanente em saúde: descentralização e disseminação de capacidade pedagógica na saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 10(4): 975-986, out-dez. 2005.

CAROTTA, F.; KAWAMURA, D.; SALAZAR, J. Educação permanente em saúde: uma estratégia de gestão para pensar, refletir e construir práticas educativas e processos de trabalhos. Saude soc., São Paulo. 2009. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010412902009000500008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 04 dez. 2020.

EPS EM MOVIMENTO. Educação e trabalho em saúde: a importância do saber da experiência. 2014. Disponível em: http://eps.otics.org/material/entrada-textos/educacao-e-trabalho-em-saude-a-importancia-do-saber-da-experiencia. Acesso em: 10 fev. 2020.

MERHY, E. E.; FEUERWERKER, L. C. M. Educação Permanente em Saúde: educação, saúde, gestão e produção do cuidado (s.d). Disponível em: http://eps.otics.org/material/entrada-outras-ofertas/artigos/eps-educacao-saude-gestao-e-producao-do-cuidado/at_download/file. Acesso em: 29 maio 2020.

PINHEIRO, G. E. W.; AZAMBUJA, M. S.; BONAMIGO, A. W. Facilidades e dificuldades vivenciadas na Educação Permanente em Saúde, na Estratégia Saúde da Família. Saúde Debate, Rio de Janeiro, Dezembro, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010311042018000800187&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 04 dez. 2020.

SCHMIDT, B. et al. Saúde mental e intervenções psicológicas diante da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Estud. Psicol. (Campinas), Campinas, v. 37, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/estpsi/v37/1678-9865-estpsi-37-e200063.pdf. Acesso em: 06 dez. 2020.

SILVA, K. L.; MATOS, J. A. V.; FRANÇA, B. D.A construção da educação permanente no processo de trabalho em saúde no estado de Minas Gerais, Brasil. Revista Escola Ana Nery.2017. Disponível em: pt_1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2017-0060.pdf. Acesso em: 04 dez. 2020.




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.