DEMANDAS PSIQUIÁTRICAS NA ADOLESCÊNCIA: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Carolina Getnerski Biswski, Tania Maria Sbeghen de Oliveira

Resumo


Transtornos psiquiátricos em crianças e adolescentes são condições prevalentes, precoces e passível de persistência ao longo da vida. Identificar a prevalência dos transtornos mentais na adolescência auxilia na implementação do tratamento precoce, melhorando o prognóstico do paciente. Este constructo, baseado nos dados epidemiológicos obtidos na pesquisa “Perfil Epidemiológico do Paciente Atendido no Ambulatório de Hebiatria do Hospital Infantil”, tem como objetivo relacionar a incidência de sintomas psiquiátricos e psicológicos em adolescentes atendidos em outros serviços de saúde do Brasil. Utilizou-se os buscadores LILACS, SciELO, e PubMed, utilizando como palavras-chave: “adolescência”, “epidemiologia”, “sintomas psiquiátricos” e “transtornos psicológicos”, filtrando produções científicas dos anos de 2014 a 2019. Selecionou-se quatro artigos para elaboração desta revisão bibliográfica. Os dados presentes nas literaturas consultadas corroboram com os obtidos na pesquisa “Perfil Epidemiológico do Paciente Atendido no Ambulatório de Hebiatria”, especialmente os que confirmam que a prevalência de transtornos mentais em adolescentes é maior do que nas demais faixas etárias. A identificação de fatores de risco associados à ocorrência de transtornos mentais em adolescentes pode auxiliar no diagnóstico e elaboração de plano de cuidados individualizado. Estudos transdisciplinares devem ser encorajados, a fim de compreender a demanda regional, e favorecendo implementação de programas de prevenção e intervenção precoce.


Palavras-chave


hebiatria; adolescência; epidemiologia; transtornos psicológicos; sintomas psiquiátricos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, P. A.; WEBER, L.; BOLSONI-SILVA, A. Cuidados parentais e desenvolvimento socioemocional na infância e na adolescência: uma perspectiva analítico-comportamental. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, v. 18, n. 1, p. 4-21, 10 jun. 2016.

AYRES, J. R. de C. M. et al. Caminhos da integralidade: adolescentes e jovens na Atenção Primária à Saúde. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 16, n. 40, p. 67-82, Mar. 2012. Disponível em . Acesso em 29 junho 2020.

BISWSKI, C. G.; OLIVEIRA, T. M. S. de. Cuidados Transdisciplinares no Atendimento ao Adolescente. 4rd International Conference on Childhood and Adolescence. Lisboa, Portugual. 2020. (Comunicação Oral).

_______________________________ Epidemiologia do Suicídio na Adolescência: Estratégias para Compreensão. Anais do V Simpósio Internacional Ciência, Saúde e Território "Vida saudável e bem-estar em todas as idades”. Lages, SC. 2019. Disponível em: Acesso em 29 junho 2020.

_______________________________. Perfil Epidemiológico Do Paciente Atendido No Ambulatório De Hebiatria Do Hospital Infantil. 39º Congresso Brasileiro de Pediatria. Porto Alegre, RS. 2019. (Comunicação Oral.

ELORZA, C. L. C. Qualidade de vida, depressão e ansiedade: um estudo com crianças e adolescentes com doença renal crônica e seus cuidadores primários. 2020. 1 recurso online (104 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: Acesso em: 29 Apr. 2020.

FERRAZ, I. E. I. et al. Fatores psicossociais associados ao desenvolvimento de transtornos psiquiátricos em crianças e adolescentes. Rev. Med. UFC. v. 57, n. 2, p. 8-13, maio/ago. 2017.

MACHADO, C. M. et al. Ambulatório de psiquiatria infantil: prevalência de transtornos mentais em crianças e adolescentes. Rev. Psi. v. 16, 53-62. São Paulo, maio-ago. 2014.

THIENGO, D. L. CAVALCANTE, M. T. LOVISI, G. M. Prevalência de transtornos mentais entre crianças e adolescentes e fatores associados: uma revisão sistemática. J. bras. psiquiatr., Rio de Janeiro, v. 63, n. 4, p. 360-372, Dec. 2014.

VASCONCELOS, N. M. et al. Life satisfaction mediates the association between childhood maltreatment and depressive symptoms: a study in a sample of Brazilian adolescents. Braz J Psychiatry.2020;42(3):250-257




Diretos Autorais

 

A revista Gepesvida é de acesso livre. É, portanto, fundamental que o autor ao utilizar-se dela para publicação de trabalhos observe conduta apoiada em princípios éticos, de modo a respeitar o direito de propriedade intelectual sobre a obra a ser submetida. 

 Dessa maneira, as Revistas Eletrônicas do ICEP buscam agir sob uma política de publicação no intuito de proteger seus interesses como veículo divulgador da ciência, bem como garantir os interesses de seus colaboradores que aqui depositam sua confiança publicando o resultado de suas pesquisas científicas.


O termo de cessão que segue é regido pela lei n° 9.610/1998, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais no Brasil.